19 de Maio, às 18h30 - Entrada Franca


SNUFF… VÍTIMAS DO PRAZER, de Cláudio Cunha. São Paulo, 1977.
Com Carlos Vereza, Canarinho, Rossana Ghessa, Hugo Bidet, Fernando Reski, Roberto Miranda e Nadyr Fernandes.

“Os filmes pornográficos se tornarão obsoletos depois deste, coisas do passado!”. Com esse argumento, um produtor picareta (Hugo Bidet) tenta convencer seu
parceiro americano (Fernando Reski) a rodar um filme “snuff” – onde o ator é morto de verdade, diante da câmera – na Boca do Lixo. Para atingir seu objetivo, a dupla contrata um técnico local (Carlos Vereza, no papel de um cineasta completamente falido) para levantar a produção e montar o elenco – Rosana Ghessa, Roberto Miranda (mais uma vez, em outro grande papel) e Nadyr Fernandes. Destaque para o trabalho de direção do também produtor e ator Cláudio Cunha, que filmou o roteiro de Carlos
Reichenbach (um brilhante tratado sobre a indigência da nossa indústria cinematográfica) com grande habilidade. Cunha não deixa a metalinguagem reduzir o
impacto do filme, mantendo o suspense até o fim e imprimindo em cada cena um clima forte de tensão e violência. Impecável trabalho de fotografia e câmera de Roberto Buzzini. Uma obra-prima do cinema da Boca do Lixo.



snuff_vitimas do prazer


“Ao longo de sua história, o cinema sempre namorou a morte. A morte verdadeira, sem truques, sem cortes. (…) No ano passado [1976], foi lançada no mercado exibidor de filmes pornô em Nova York, uma fita intitulada Snuff. Esta palavra, literalmente, significa apagar, raspar (no conceito que poderia ser adotado pelo nosso famoso Esquadrão da Morte). Filme de quinta categoria, de caráter clandestino, com atores desconhecidos, mas que tinha como atrativo maior os estupros e assassinatos de “duas atrizes”. A notícia de que as cenas eram verdadeiras e que teriam sido filmadas clandestinamente na Argentina atraiu público sem precedentes. O fato abalou a opinião pública, movimentando as mais diversas camadas sociais, culminando com uma passeata de estudantes sul-americanos na porta do cinema, portando cartazes e faixas com dizeres: “Na América Latina a vida não vale nada”. Estes acontecimentos serviram como ponto de partida para realização de Vítimas do Prazer (Snuff). Trata-se do terceiro filme de Cláudio Cunha, da mais nova safra de diretores brasileiros. (…) Unindo a idéia original do filme maldito (“Snuff”) a uma sinopse de Carlos Reichenbach, os dois partiram para elaboração de um roteiro onde pudessem analisar todos os aspectos das “Grandes Saídas”, das “Jogadas Salvadoras”, das “Oportunidades de Ouro”. Usando para isso, a linguagem básica “hitchcockiana” do policial (onde o espectador fica sabendo, desde o início, quem vai morrer e quem vai matar), a essência melodramatica dos melhores filmes de terror e a criatividade da linguagem dos policiais classe B norte-americanos (Fuller, Norman Foster, Robert Gordon, Boetticher). Vítimas do Prazer (Snuff) é essencialmente um espetáculo. Espetáculo este onde a ironia é a tônica maior e o suspense atemorizante o veículo que o diretor Cláudio Cunha utiliza para deixar claro seus pontos de vista a respeito do mundo, com uma mordacidade nem sempre agradável aos olhos, mexendo com nervos dos espectadores.” (Extraído do material de divulgação do filme)



Próximo filme: O QUINTO PODER (1963)


...

12 DE MAIO, ÀS 18h30 – estréia a nova temporada do cineclube MALDITOS FILMES BRASILEIROS, na CASA FRANÇA-BRASIL - Rua Visconde de Itaboraí, 78 - Centro.
tel.: 2253-5366.

As sessões serão TODAS AS QUINTAS-FEIRAS, SEMPRE AS 18h30, COM ENTRADA FRANCA (senhas distribuidas 15 minutos antes de cada sessão). A programação do cineclube apresenta clássicos e raridades do cinema brasileiro de diferentes épocas, alternando filmes policiais, faroestes, pornochanchadas, filmes de terror e ficção científica.


PROGRAMAÇÃO DE MAIO


12 de Maio, às 18h30 - Entrada Franca


PATTY, A MULHER PROIBIDA, de Luiz Gonzaga dos Santos. São Paulo, 1979.
Com o anão Dilin Costa, Roberto Miranda e Helena Ramos.

Dilin Costa Haway Filmes
Patty, a mulher proibida Helena Ramos e Roberto Miranda

Sensacional estória do anão Jujuba, interpretado pelo genial ator Dilin Costa. Cansado de viver na pior,Jujuba tenta o suícidio, mas também não tem sucesso.
Seu drama comove a opinião pública, e o pequeno Jujuba ganha um emprego de apresentador de programa infantil, revelando-se um grande canalha. Do submundo de onde saiu, Jujuba resgata o “Escriba” (Roberto Miranda) para ser seu roteirista e
capacho. Juntos, os dois tentam seduzir a ingênua Patty (Helena Ramos), vedete de uma boite de strip-tease. Adaptação do conto “Mustang cor de sangue”, de Marcos Rey. Excelente estréia do diretor Luiz Gonzaga dos Santos. O sarcasmo e deboche dos
personagens de Patty, a mulher proibida só encontram paralelo nos tipos dementes criados por Rogério Sganzerla. Uma produção Haway Filmes.


19 de Maio, às 18h30 - Entrada Franca


SNUFF… VÍTIMAS DO PRAZER, de Cláudio Cunha. São Paulo, 1977.
Com Carlos Vereza, Canarinho, Rossana Ghessa, Hugo Bidet, Fernando Reski, Roberto Miranda e Nadyr Fernandes.

“Os filmes pornográficos se tornarão obsoletos depois deste, coisas do passado!”. Com esse argumento, um produtor picareta (Hugo Bidet) tenta convencer seu
parceiro americano (Fernando Reski) a rodar um filme “snuff” – onde o ator é morto de verdade, diante da câmera – na Boca do Lixo. Para atingir seu objetivo, a dupla contrata um técnico local (Carlos Vereza, no papel de um cineasta completamente falido) para levantar a produção e montar o elenco – Rosana Ghessa, Roberto Miranda (mais uma vez, em outro grande papel) e Nadyr Fernandes. Destaque para o trabalho de direção do também produtor e ator Cláudio Cunha, que filmou o roteiro de Carlos
Reichenbach (um brilhante tratado sobre a indigência da nossa indústria cinematográfica) com grande habilidade. Cunha não deixa a metalinguagem reduzir o
impacto do filme, mantendo o suspense até o fim e imprimindo em cada cena um clima forte de tensão e violência. Impecável trabalho de fotografia e câmera
de Roberto Buzzini. Uma obra-prima do cinema da Boca do Lixo.


26 de Maio, às 18h30 - Entrada Franca


O QUINTO PODER, de Alberto Pieralisi. Rio de Janeiro, 1963.
Com Eva Vilma, Oswaldo Loureiro, Augusto César Vanucci e Sebastião Vasconcelos.

Um clássico do cinema de ficção científica que precisa ser urgentemente redescoberto – provavelmente, o mais “psicotrônico” de todos os filmes. O quinto poder é um alerta sobre os perigos da propaganda subliminar. Agindo na clandestinidade, uma potência estrangeira usa os meios de comunicação de massa para transmitir mensagens subliminares, com objetivo de espalhar o pânico e a paranóia entre a população e desestabilizar o país. Só aqueles que não assistem televisão ou
escutam rádio, estão imunes aos efeitos maléficos da “propaganda invísivel”. Destaque para a fotografia de Ozen Sermet. Um dos filmes mais bem realizados de toda
história do cinema brasileiro. Excelente aproveitamento das locações e uso engenhoso de imagens de arquivo (nas cenas de tumultos de rua).


Carlos Reichenbach fala sobre o filme: O quinto poder, de Alberto Pieralisi, é um dos poucos clássicos do cinema policial brasileiro e um dos mais autênticos projetos de produtor, no caso o jornalista Carlos Pedregal. O filme é premonitório e ao mesmo tempo um "thriller" emocionante. A seqüência de briga no teto do bondinho do Pão de Açúcar é mais bem filmada que qualquer James Bond milionário.”


PRÓXIMOS FILMES
Todas as quintas-feiras, 18h30.
Com entrada franca.


JUNHO


Dia 02 – A VINGANÇA DE CHICO MINEIRO, faroeste dirigido por Rubens Prado
Dia 09 - NA MIRA DO ASSASSINO, filme policial dirigido por Mário Latini.
Dia 16 - FUSCÃO PRETO, aventura fantástica com Xuxa Meneghel.
Dia 23 - A REENCARNAÇÃO DO SEXO, filme de terror dirigido por Luiz Castillini
Dia 30 - AMADAS E VIOLENTADAS, policial dirigido por Jean Garret, com David Cardoso.


JULHO


Dia 07 - O MAU CARÁTER, comédia dirigida por Jece Valadão.
Dia 14 – BACALHAU - BAC’S, pornochanchada dirigida por Adriano Stuart.
Dia 21 - A FILHA DO PADRE, faroeste dirigido por Tony Vieira.
Dia 28 – ÓDIO, policial dirigido por Carlo Mossy.

Powered by Blogger